Decoração com marca portuguesa

Jorge Antunes tem um longo percurso no sector dos têxteis para a decoração. Inicialmente trabalhando num armazém, passou depois pela área comercial, até que, em 1995, assume-se como empresário em nome individual.
Nos anos que se seguiram, a economia portuguesa e, particularmente, o sector da construção civil atravessaram um período de ascensão, impulsionando o crescimento da empresa e a criação, em 2004, de uma sociedade sob a designação Damaceno &Antunes, Lda.
Focalizada para a comercialização de tecidos de decoração e papel de parede a sua actuação rege-se por duas vertentes de negócio: a representação exclusiva em território nacional de algumas das maiores marcas do sector – Harlequin; Sanderson; Kobe; Scion; Agena; Decobel; Filpassion — e a edição e comercialização de uma marca própria: Evo Fabrics.

damasceno
EVOlution
“Foi a necessidade de colmatar a nossa falta de oferta de produtos específicos para o mercado nacional que impulsionou a criação de uma marca própria”, explica o empresário. Hoje, a Damaceno & Antunes surpreende os mercados com colecções de design made in Portugal, inspiradas no melhor que o nosso país tem para oferecer. Se no passado a colecção O porto ou a a Azulejo Português fizeram sucesso, em 2014 o mote dos nossos desenhos será a calçada portuguesa”, informa Jorge Antunes. “Infelizmente, em Portugal não existe uma indústria multipla de tecidos de decoração, por isso somos obrigados a produzir as nossas colecções no mercado externo, à semelhança do que acontece com as grandes marcas mundiais”, lamenta.
A Evo Fabrics está já presente no mercado internacional junto dos grandes players mundiais, sendo uma referência portuguesa no sector. A presença regular, desde 2009, na Maison & Objet – maior feira internacional no ramo da alta decoração
— impulsionou o crescimento da marca, permitindo-lhe hoje exportar para 27 países.
Com mais de vinte de anos de experiência, Jorge Antunes é um empresário de sucesso que transporta o nome de Portugal além-fronteiras. Acompanhado por uma equipa de profissionais qualificados, a firma marca pela diferença: “não fizemos nada que já não existisse no mercado, apenas descobrimos que fazemos tão bem como os outros”.
Orgulhosamente maiato, em final de conversa, o CEO recorda que o primeiro logótipo da sua empresa, “foram as pirâmides da Maia. Não deixo de estar ligado a esta terra onde desempenho alguns cargos, nomeadamente, como dirigente desportivo. É com muito orgulho que transporto o nome da Maia para fora de portas e vejo o meu trabalho ser reconhecido pelos meus conterrâneos”, conclui.

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *