Tapetes e Carpetes do Piódão

Tapete exportador
Para não ficar nas mãos dos distribuidores, pôr os seus têxteis na boca do mundo o grupo com nome de uma das mais típicas aldeias portuguesas confiou nas mãos de artesãos para pôr os seus têxteis na boca do mundo e decorar a casa nacional e internacional com o que se faz de melhor …

 

> É na fábrica de Arganil que ganham forma, cor e chão os tapetes e carpetes do Piódão Group, tufados à mão pelos trabalhadores da empresa.

> As ideias para o design e para as texturas também se alinhavam sob o testemunho silencioso da serra do Açor, contando com uma equipa de design residente e a colaboração pontual de designers como Luís Nascimento e Filipe Afarcão ou os ateliês Pedrita, Zaven e Space lnvaders.

> A Piódâo vai à Nova Zelândia buscar a fibra — principal matéria–prima — que dá origem à lã fiada em Portugal. No rol de materiais utilizados entra também a viscose, uma fibra artificial comprada dentro de portas. Aliás, como faz questão de sublinhar Pedro Pinto Pacheco, CEO do Piódão Group, «os nossos fornecedores são, na sua maioria, portugueses». Só os produtos que não conseguem encontrar no mercado nacional — «quer em termos absolutos quer em termos de preço» — são importados, acrescenta.

> Apostando na produção semiartesanal, «porque o mercado valoriza produtos individualizados e feitos à mão» e porque a razão entre o custo e a qualidade não compensa o investimento em maquinaria, é privilegiado o método esmirna ou hand tufted. A lã é cosida no tapete pelo verso, para ficar de pé, na face principal. Depois de aplicada a lã ponto por ponto, linha por linha, nascem os desenhos e formas, as misturas de materiais e os jogos de texturas e cores. A rematar, há ainda uma fase de acabamentos durante a qual se podem corrigir imperfeições e fazer o controlo de qualidade final.

 

1200 metros quadrados
saem mensalmente da fábrica da marca. Para além da linha própria, há mais duas vertentes de negócio. A Piódão Pro, que produz tapetes personalizados, diretamente para arquitetos e ateliês de design, bem como a Piódão Outsourcing. Esta é o core-business da empresa e
seu negócio mais rentável: representa 70% da produção, fazendo nascer produtos desenvolvidos para outras marcas mundiais conceituadas como cadeias Rolf Benz, Moroso e Moooi.

O respeito pelo meio ambiente também está entranhado nos tapetes Piódão. Os responsáveis da empresa garantem que apenas se admitem na sua composição fibras biodegradáveis e «naturais» — como a lã ou como a viscose, fabricada a partir da madeira ou da semente do algodão, e em cujo processo de produção já é possível minimizar os efeitos poluidores. Assim se vira a agulha a materiais derivados do petróleo como o nylon e o polipropileno

Os tapetes Piódão têm preços de venda ao público que se estendem entre os 450 e os 500 euros o metro quadrado e podem ser encontrados em lojas de design como a BCT Store, em Lisboa e no Porto. As encomendas também podem ser dirigidas diretamente ao Piódão Group…

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *