REGRESSO DA GAIOLA POMBALINA

A técnica da gaiola pombalina está de volta a construção portuguesa, adaptada a tecnologia actual, num modelo modular e sustentável. O projecto inspirado nos prédios da Baixa de Lisboa foi criado por João Carlos Afonso Alves.

Resgatar a técnica da gaiola pombalina e adapta-la a construção actual é um projecto de João Carlos Afonso Alves, da Eco Sistema Construção Sustentável. Licenciado em estudos superiores de arquitectura, João Alves decidiu estudar a técnica da Gaiola Pombalina para uma casa inovadora.

<<Desde então empreendi uma investigação profunda para reutilizar esse sistema na construção de casas ecológicas. Homenagem a quem, na altura, foi um visionário. Um sistema com mais de 250 anos é com certeza uma referência de durabilidade e de eficiência>>, refere João Alves.
Desta forma, a construção da gaiola pombalina insere-se num contexto e conceito de sustentabilidade. Para o especialista trata-se de um resgate e homenagem a uma técnica que se pensa obsoleta, demonstrar que é capaz de dar resposta as premissas dos tempos actuais: durabilidade, mobilidade, ecologia e sustentabilidade.
O investigador procura a evolução natural do sistema. Interpreta a construção vernácula e actua em conformidade com técnicas que noutros países,como a Finlândia, Alemanha ou a regido Norte de Itália sofrem uma evolução natural. Esta evolução, fruto dos trabalhos de investigação e desenvolvimentos científicos, permitem a concepção de produtos hi-tech em madeira. Assumem actualmente uma importância crescente na arquitectura e na engenharia moderna.
Esta evolução deu-se em diversos campos: na própria assemblagem da madeira (madeira lamelada ‘Glulam’, CLT, OSB, KERTO).
modulo-1024x775

modulo1jpg

 

Gaiola para casas modulares
A Gravalima, uma empresa de extracção e produção de pedras que já concebeu o projecto da Granihouse, lança agora uma proposta para a construção de uma micromoradia com a técnica da gaiola pombalina. Este sistema permite a utilização do cascalho de granito de Ponte de Lima da própria pedreira. Ao ficar visível o sistema tridimensional em madeira, a gaiola, funciona como uma exoestrutura — solução dos animais invertebrados, o exoesqueleto protege dos perigos e do clima.
Optou-se por uma cobertura ajardinada, com plantas que, no seu ciclo natural, sombreiam no Verão e promovem a exposição solar no Inverno, e tela PVC com chapa de zinco.

A gaiola pombalina pode assim, com eficácia e conforto, sofrer as vicissitudes do clima, das oscilações do transporte, do tempo. Renascendo para mais 250 anos>.
A gaiola pombalina surgiu após o terramoto de 1755, em Lisboa. Dada a enorme destruição do edificado e as perdas humanas, foram levantadas as questões da segurança para a reconstrução. Como resposta surgiu a alvenaria mista com uma estrutura tridimensional de madeira no interior (a gaiola), embebida nas paredes de alvenaria de pedra. Esta técnica está relacionada com a experiência da construção naval, na época exclusivamente de madeira,

One Response

  1. Betty 2017/01/28

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.